Como estudar para concurso

Como estudar para concurso?

Como estudar para concurso: o guia definitivo para levar você com segurança do zero à aprovação.
em 23 Janeiro 2019
Início > Blog > Como estudar para concurso?

[Passar em concurso público: uma tarefa simples, mas não tão fácil!]

Neste momento, você deve estar se perguntando: como assim?

Mas é isso mesmo!

Analise a seguinte situação: ir numa padaria, do outro lado da sua rua, é muito simples, certo? Mas você já imaginou ir de olhos vendados e sem ouvir nenhum som?

Ah, e sem ninguém para te guiar...

Nada fácil, concorda?

Todo mundo sabe que para passar em um concurso público “estudar” e não “desistir” são o ponto chave.

Mas se é tão simples, porque é tão difícil?

É difícil porque, assim como no exemplo da padaria, não adianta apenas saber o destino.

Se você não tem noção de qual caminho seguir e não sabe o "como fazer" para chegar no seu objetivo, a chance de ter sucesso é muito pequena e, com certeza, bem mais demorada.

Para validar essa teoria, eu fiz um experimento e vou contar o resultado para você, mas antes, confere tudo que você vai ver neste guia completo de como estudar para concurso.


ÍNDICE DE CONTEÚDO

MÓDULO I

O que preciso saber antes de começar a estudar e muita gente que estuda há anos não sabe?

Como organizar sua vida para estudar para concursos

Conheça você e entenda a melhor forma de estudar

Organizando seu material e local de estudo

Quando começar a estudar para concurso?

BÔNUS 1: Qual a carreira certa escolher?

BÔNUS 2: O que esperar do mundo dos concursos para 2019

MÓDULO II

Estudar certo começa pelo entendimento completo do edital 

Como definir metas de estudo e estudar o que realmente importa?

Como criar um cronograma ?

3 dicas quentes para ajudar você a escolher o material certo na hora de estudar

Faça exercícios e simulados e entenda como sua banca pensa

Conheça a melhor forma de elaborar a sua prova discursiva

BÔNUS: Como estudar a Lei seca com eficiência

IMPORTANTE! NÃO DEIXE DE LER :)

 


QUAL SONHO VOCÊ VAI REALIZAR EM 2019 QUANDO PASSAR EM CONCURSO PÚBLICO?

O melhor presente que você pode dar a você e a sua família é uma vida segura e de sonhos realizados para sempre. Veja como nossos alunos conseguiram isso.


 

 

MÓDULO I

 

 

O que preciso saber antes de começar a estudar e muita gente que estuda há anos não sabe?

O que preciso saber antes de começar a estudar

Na frente do meu prédio tem uma padaria do outro lado da rua, sem estar de olhos e ouvidos tapados, da porta do meu apartamento até o destino gastei 4 minutos e 23 segundos para chegar lá (contando com atraso do elevador...)

Legal né? Até aí tudo bem...

Com um pouco de medo de me machucar e com MUITA vergonha, resolvi fazer o mesmo trajeto com os olhos e ouvidos vendados.

Porém, só o tempo que gastei para acertar o momento que o elevador chegou sem ver nem ouvir nada deve ter sido uns 10 min.

Depois de passar um grande tempo, consegui entrar no elevador, mas não antes de chutar o desnível que tinha entre o piso e ele.

Não doeu muito, mas é incrível como o efeito psicológico dessa pequena topada foi devastador...

Essa pequena falha aumentou MUITO o meu medo de errar novamente e de me machucar feio.

Com isso, comecei a andar ainda mais devagar e PERDER mais tempo.

Mais alguns passos rumo ao desconhecido e esbarrei na porta de vidro do hall do meu prédio, o medo de falhar multiplicou por uns 100%!

Se o vidro quebrasse, a chance de me machucar era grande, além da vergonha que eu ia ter que carregar pelo resto da vida de ter quebrado a vidraça por ser um louco andando de olhos vendados.

Confesso que se não estivesse 100% motivado teria parado ali mesmo...

Ufa! A vidraça não quebrou, contornei a porta na base do tato e segui aos trancos e barrancos meu caminho...

Como estava abalado, com medo e com vergonha por quase ter quebrado a vidraça do prédio, meus passos ficaram cada vez mais inseguros e lentos, depois de um bom tempo, consegui chegar na frente do prédio.

Lembro inclusive que em todo caminho fui alvo de risos e piadinhas de muitos que passaram, fiquei com raiva, e a vergonha quase me fez desistir mais uma vez, mas eu tinha uma teoria para provar, então foco!

Por fim, passei o portão do meu prédio, e foi aí que me deparei com o maior problema... teria que atravessar a rua as cegas e sem ouvir nada.

Resultado, depois de passar por tudo isso, tive que desistir.

Completamente frustrado, tirei a venda e os protetores de ouvido, olhei no relógio e ele marcava 43 minutos e 28 segundos.

Mesmo sem colocar o pé na padaria, minha teoria estava comprovada!

 

Mas qual a moral da história?

mulher tem ideia de como estudar para concurso

Fiz questão de fazer este experimento real (e um pouco maluco) para provar a você duas coisas:

 

#1  Assim como no meu experimento, para passar em concurso público não adianta saber o “que fazer” e sim “como fazer”. 

Eu chego rápido na padaria todos os dias, pois sei como chegar lá. 

Quando tapei meus olhos e ouvidos, o “como” foi retirado da equação, e o resultado foi desastroso.

Por mais motivado que você esteja, se você não sabe o jeito certo de estudar, vai se frustrar, perder muito tempo, dinheiro e haverá ainda uma grande chance de desistir antes mesmo de conseguir ser aprovado. 

E isso acontece, não porque você é fraco ou não está estudando o suficiente, mas porque você está tentando fazer algo simples "de olhos e ouvidos vedados".

Dessa forma, você gasta muito mais energia do que o necessário, e isso leva a exaustão, frustração e, consequentemente, a desistência.

 

#2 Se você não sabe como fazer, mesmo que tenha uma ideia, você vai perder muito mais tempo do que é necessário.

No meu experimento eu fui quase 11x mais lento quando não sabia como chegar ao meu destino. 

E olha que eu já tinha uma noção de como chegar, afinal, moro no meu apartamento a mais de 10 anos e faço este trajeto quase todo dia. 

Por isso que você precisa saber o jeito certo de como estudar para concurso público

Se não, a chance é grande de você perder muito tempo sem sair do lugar. 

Se tudo isso que falei faz sentido para você, não deixe de ler esse artigo até o final.

Este material é útil tanto para quem está começando agora, quanto para quem já vem estudando para concursos... 

Ou seja, se você não gosta de perder tempo nem dinheiro, chegou a hora de por os olhos em um guia definitivo de como estudar para concurso público.

 

 

 

Como organizar sua vida para estudar para concursos

Como organizar sua vida para estudar para concursos

Você tomou a decisão de estudar para concursos... ótimo. 

Parar de procrastinar e dar o primeiro passo é superimportante, mas você já separou quanto tempo vai estudar por dia?

Entre cuidar da casa, dos filhos, trabalhar, comer, dormir... Você vai ter que arrumar um tempo para estudar.

Mas como fazer? Será que você vai ter que deixar de comer, dormir e sua vida social será uma vaga lembrança?

Fique tranquilo!

A partir de agora vou listar alguns passos para ajudar você a organizar sua vida para estudar para concursos.

 

#1 Não minta para você!

A primeira coisa que você deve fazer para organizar seus estudos é definir o seu horário de dedicação a ele.

O problema é que nesta etapa o concurseiro sofre do "complexo de Super-Homem".

Trabalho com concursos há muito tempo, e praticamente todo dia me deparo com uma situação onde o estudante diz que vai dedicar 12, 14 até 16 horas de estudo por dia.

Como se a única coisa importante para a sobrevivência fosse estudar...

Comer e dormir é um detalhe que pode ser facilmente ignorado, né?

Se relacionar com amigo e parentes, filhos... praticar exercícios físicos...

Tudo supérfluo!

Isso poderia até ser engraçado, mas a verdade é que se você não for sincero com você na hora de definir suas horas de estudo, muito em breve você vai se frustrar por não conseguir atingir a meta que você traçou.

Seja por exaustão, por problemas de saúde ou de relacionamento.

E quando chega neste ponto, desistir de estudar acaba se tornando a decisão mais prática a se tomar.

Então, esqueça os extremos, foque no equilíbrio.  

Não minta para você!

 

#2 Antes de organizar como vai ficar, você precisa organizar o que já tem.

Você já parou para pensar que pode estar perdendo tempo do seu dia porque simplesmente você nunca organizou ou não organiza regularmente sua rotina?

Faça este exercício:

1.       Pegue uma folha de papel em branco e escreva todas as atividades que você faz durante uma semana.

2.       Ao lado de cada atividade ponha a quantidade de horas que você gasta para esta dedicação na semana, da forma mais próxima possível da realidade (não precisa cronometrar seu tempo de ir no banheiro por uma semana, tá? Basta tentar ser o mais próximo da realidade).

3.       Faça o somatório de todas as horas gastas, mas por questões lógicas, não podem superar as 168h semanais. :)

4.       Confira este exemplo:

a)       Sono – 56 horas

b)      Trabalho – 40 horas

c)       Alimentação (café, almoço, lanche, jantar...) – 15 horas

d)      Lazer (diversão individual, com a família, redes socias...) – 15 horas

e)      Higiene (banho, escovar dente, nº1,nº2) – 11 horas

f)        Cuidar da casa – 12 horas

g)       Exercícios físicos (academia, natação, caminhada...) – 7 horas

h)      Locomoção (trabalho p/ casa, casa p/academia...) – 9 horas

i)        Tempo livre – 3 horas

Total: 168 horas

Obs1: estes dados mudam de pessoa para pessoa, o importante é você ser o mais sincero possível com você.

Obs2: Você pode ser mais específico e detalhado no seu projeto, esse foi só um exemplo.

Obs3: As vezes quando você vai para a ponta do lápis, acaba vendo que tem umas horas livres que são ocupadas normalmente com redes socias, facebook, whatsapp...

#3 Veja o que pode reduzir de cada uma das atividades existentes

Agora que você já registrou quanto tempo você gasta com cada atividade por semana, chegou a hora de ver quanto de cada uma delas você pode ajustar para separar um tempo razoável para estudar.

Você gosta de dormir 10 horas por dia, mas será que não dá para dormir 7 horas e garantir mais 3 horinhas por dia?

Será que não dá para dar uma sacrificada no tempo dedicado as redes sociais e garantir mais algumas horas por semana? :)

Enfim, no final do exercício provavelmente você terá descoberto que ficaram algumas horas livres, é neste ponto que você cria uma nova tarefa “passar em concurso público” e aloca todas as horas livres nela.

 

#4 Se comprometa!

Após ajustar o seu horário, chegou a hora de bater uma foto do seu resultado ou colar o seu papel na geladeira, compartilhar com os amigos... o que você preferir.

Esta etapa serve para você criar um compromisso com você mesmo, que você vai seguir o que definiu na sua lista.


DICA QUENTE: Divida com alguém a sua lista, pode ser a esposa, mãe, algum amigo próximo, ou até no grupo de WhatsApp. Quando você se compromete com mais gente além de você, a chance de você cumprir é muito maior. Pode fazer o teste ;)


 

Agora é arregaçar as mangas e começar!

 

Ah, e se você curtiu este passo a passo, dá uma olhada neste artigo do Advogado da União e Coach da VP Concursos, Diego Brunno. Lá ele dá várias dicas para você organizar sua vida em torno dos estudos: https://vpconcursos.com.br/blog/dicas-incriveis-para-organizar-sua-vida-em-torno-dos-estudos

 

 

Conheça você e entenda a melhor forma de estudar

mulher no espelho se conhecendo melhor para estudar melhor

Agora que você já organizou a sua rotina semanal e incluiu de forma saudável um tempo para estudar no seu dia a dia, chegou a hora de fazer algo que é igualmente importante.

Identificar quais os melhores aspectos da sua preparação.

Qual o período do dia você tem um melhor rendimento?

Como você costuma absorver melhor o conteúdo?

É melhor estudar em grupo ou sozinho?

Escolher o momento do dia, local onde estudar e a forma em que você se sente mais produtivo para absorver o conteúdo, com certeza aumentará a sua produtividade e terá influência direta em seus resultados.

Tomar essa ação é fundamental para extrair o seu melhor e otimizar a sua preparação.

Mas por onde começar?

Isso parece dar um trabalhão...

Para facilitar a sua vida, nós elaboramos, com a supervisão de um psicólogo, uma poderosa Avaliação de Perfil de Aprendizagem (APA) completa e 100% gratuita para você descobrir o momento do dia e o ambiente em que você se sente mais produtivo e concentrado, entender como funciona a sua motivação e capacidade de aprender e outros aspectos que podem interferir na sua preparação para provas e concursos.

E, o mais legal, ao concluir a avaliação você receberá um relatório completo com os indicadores claros e comentados sobre os aspectos mais importantes para você.

Tudo prontinho, já para você por em prática! :)

Legal né? Então clica agora no botão abaixo e já faz seu cadastro grátis para receber o acesso a ferramenta.

tenha acesso a Avaliação de Perfil de Aprendizagem

Achou interessante este tópico? O Auditor Fiscal da Secretaria da Fazenda de SP e Coach VP Concursos Alexandre Kajihara, fala mais sobre ele neste artigo:  https://vpconcursos.com.br/blog/conheca-se-aumente-seu-rendimento-entendendo-o-que-e-melhor-para-voce

 

 

Organizando seu material e local de estudo

Mulher organizando seu material e local de estudo

Há um ponto que costuma ser muito negligenciado pelos concurseiros, mas que é extremamente nocivo para a preparação.

É a organização do seu local e material de estudo.

Falta de tempo, preguiça...

Pode escolher a desculpa que quiser.

Mas uma coisa é certa, se seu material e local de estudo estiver desorganizado, você em algum momento (ou em muitos!) vai perder tempo precioso de estudo procurando algo que por sua culpa deveria "estar ali" mas não está ou ainda tentando retomar a concentração, pois algum fator externo fez você perder o foco.

Falta de organização definitivamente não combina com estudo.

Então, para aprender como estudar para concurso, você vai precisar aprender como organizar se­­u material e local de estudo.

 

Onde devo estudar?

Onde devo estudar?

Em casa, na biblioteca ou até no trabalho (se ele dispõe de um espaço reservado para você utilizar quando não estiver trabalhando).

Não há por padrão um local ideal para estudar, porém, há uma atitude ideal: criar um ambiente favorável para o estudo.

Para ajudar você na tarefa de encontrar o seu  ambiente ideal, vou a partir de agora listar os pontos positivos e negativos de utilizar a sua casa ou um local externo para estudar. 

Depois de analisar as opções, cabe a você, adaptá-la a sua realidade, tudo bem?

 

#1 Pontos positivos de estudar em casa:

 

1. Ganho de tempo com deslocamento e "produção" visual.

Quando você estuda em casa, você não precisa sair para estudar, meio lógico né?

O que a gente normalmente não para pra pensar é que há um ganho de tempo considerável aí...

Quando você opta por estudar em casa, não há necessidade de deslocar para um outro local e, com isso, você ganha tempo de duas formas:

a) Evitando o deslocamento e, principalmente, nas grandes metrópoles, em que o trânsito é engarrafado e lento.

b) Evitando o tempo com a produção no visual. 

É isso aí! Normalmente, quando você sai de casa, há um gasto de tempo considerável com o cuidado com o visual.

Entenda, eu não estou dizendo para você sair de casa todo desleixado, pelo contrário, é importante manter a autoestima quando está se preparando para concurso.

Mas é que este cuidado com o visual, quando você deixa a sua casa, toma tempo (para algumas pessoas toma MUITO tempo!), tempo este que você poderia utilizar estudando.

 

2. Você sabe onde as coisas estão e não há  risco de não ter lugar para você. 

Quando você estuda em casa, ao chegar a hora de estudar basta se deslocar ao cômodo destinado a isso e mandar ver. 

Se você for uma pessoa organizada, seu material vai estar lá pronto para ser usado e não haverá perda de tempo alguma.

Essa é uma excelente vantagem, vou te explicar o por que.
Imagina que você estudar em uma biblioteca a 30 min da sua casa, apenas para se deslocar até lá, você gasta 30 min do deslocamento + 20 minutos se arrumando para ir. Só ai você já perdeu 50 min de estudo.

Agora digamos que ao chegar na biblioteca ela esteja lotada? Ou por algum motivo o cano estourou e ela foi interditada?

Além de perder mais 30 min para voltar, como você não tem um espaço reservado para o estudo em casa, vai ter que se virar para estudar em um ambiente pouco favorável.

 

#2 Pontos negativos de estudar em casa:  

 

1. Intrusos!

Esposa, marido, filhos, parentes, amigos... São as pessoas mais importantes das nossas vidas, não é verdade?

Mas na hora de estudar eles são intrusos! 

Isso mesmo, eles atrapalham, entram sem bater na porta para perguntar, na maioria das vezes coisas pouco urgentes, querem atenção e estão dispostos a usar de todas as formas possíveis para fazer todo tipo de barulho que possa tirar o seu foco nos estudos!

No entanto, estudar em casa pode ser um problema se você não conseguir ou se não for possível ter seu espaço respeitado.

 

2. Distrações 

Em casa você tem uma infinidade de distrações ao alcance das mãos, é TV, vídeo game, Netflix, família, um bolo quentinho em cima da mesa... 

E isso pode ser extremamente prejudicial se você não consegue se controlar. 

Vou dar um exemplo:

Você está estudando e sai do quarto para ir ao banheiro...

Ao sair do quarto você escuta seu filho assistindo ao jogo do seu time do coração ou aquele novo capítulo da série que você mais gosta.

Você dá uma passadinha na sala só para "dar uma olhadinha".

Depois da primeira "olhadinha" você fica até o fim do jogo ou do capítulo da série...

Afinal, você já estuda demais, precisa se distrair um pouco.

Resultado, lá se foi 1h de estudo e o pior, quando você volta está completamente disperso o que vai prejudicar ainda mais seus estudos. 

 

3. Não ter um canto só seu.

Se você divide seu ambiente de estudo com mais alguém, há uma chance muito grande de você sofrer com os dois pontos negativos que já citei.

Não é todo mundo que tem o privilégio de ter um ambiente só seu à disposição para ser utilizado para estudo (um escritório, ou quarto de estudo, por exemplo...).

Se este é o seu caso você tem duas opções:
a) Dá um jeito de ter um tempo só seu naquele ambiente pelo menos quando está estudando;
b) Procurar um local externo para estudar.

 

#3 Pontos positivos de estudar em um ambiente externo

 

1. Ambiente propício para estudo

Quando você opta por estudar em um lugar externo (normalmente, uma biblioteca ou sala de estudo), você tem um ambiente propício para estudar: silencioso, organizado, sem muitas distrações.

Com isso, o seu foco desde o momento que chega até o momento que sai, será unicamente estudar.

Até porque você saiu de casa para isso, então, até esse efeito psicológico vai te ajudar a manter a concentração nos estudos.

 

2. Menos interrupções externas

Diferente da sua casa, assim como você, quem está utilizando o ambiente de estudo externo, também está com o mesmo foco nos estudos que você. 

Os barulhos tendem a ser bem menores e a quantidade de intrusos também será bastante reduzida.

Dessa forma, você ganha em concentração e foco. 

Além de que, dividir o mesmo espaço com pessoas motivadas com o mesmo propósito que você é um impulso motivacional ainda maior. 

 

#4 Pontos negativos de estudar em um ambiente externo 

 

1. Perda de tempo com deslocamento e produção visual. 

Como já vimos, se deslocar para um ambiente externo de estudo gasta tempo, não só o tempo do deslocamento (ida e volta), mas também o tempo que você passa se arrumando, o que para algumas pessoas pode demorar até mais que o de deslocamento.

 

2. O espaço não é seu e não vai estar disponível a todo momento. 

Aqui é um ponto importante, no caso de estudar em um ambiente externo, você terá que adaptar o seu tempo disponível para estudo ao horário de abertura e encerramento do espaço, se você tem horários pouco flexíveis, talvez fique difícil de incluir um horário de expediente de um local externo em sua rotina de estudo.  

Outro detalhe importante é que se houver algum imprevisto e o espaço estiver fechado, você terá dado uma viagem perdida. 

Mas fique tranquilo, a partir de agora eu vou falar sobre como aproveitar melhor cada espaço, independente do que você escolheu.

O que fazer para estudar melhor em casa?

O que fazer para estudar melhor em casa?

#1 Coloque seu telefone celular no silencioso ou modo avião. 

Coloque o telefone celular no silencioso ou modo avião enquanto estiver estudando, isso evita que você fique recebendo notificações do WhatsApp, redes sociais e aplicativos do smartphone.

WhatsApp e outras redes sociais são os maiores “ladrões” de tempo que existem na atualidade. 

Se continuar usando enquanto estuda, irá prejudicar drasticamente a sua produtividade.

Para que você possa reter o conteúdo estudado, você precisa de foco, atenção e concentração, e esses aplicativos de celular causam muita distração.

Então, deixe para utilizá-los apenas nos momentos que você não estiver estudando.

 

#2 Desligue a TV e fuja do barulho.

Desligue a televisão, o rádio (se é que lhe incomoda) e escolha um lugar que seja silencioso e confortável.

Se você estiver em um ambiente onde há muito barulho, use protetores auriculares ou fones de ouvido para diminuí-lo.

Se for um barulho repentino (se seu filho derrubar um copo, por exemplo) o distrair momentaneamente, respire prestando atenção na sua respiração, por 1 minuto e volte a se concentrar.

Se o barulho ficar recorrente (uma porta que bate com o vento, por exemplo), procure anulá-lo (trancar a porta ou colocar um peso para segurá-la).

 

#3 Deixe seu ambiente de estudo preparado!

Evite ficar saindo do ambiente que você escolheu para estudar.

Lembre-se que você está em casa, e cada saída do seu "cantinho de estudo", é um prato cheio para as distrações ( TV da sala, PC...) e intrusos ( os filhos, por exemplo, tem um poder especial de guardar tudo que ele queria falar para você no dia todo e soltar assim que você abre a porta...).

Por isso, o ideal é você deixar o seu cômodo preparado com tudo que você precisa: água, lanche... Se tiver um banheiro no cômodo, melhor ainda. 

E claro, separe e deixe organizado todo o material didático necessário para aquele momento de estudo, de preferência já no dia anterior.

Sabe como?

Assim que você acabar o seu estudo do dia, reserve 5 ou 10 minutos para já deixar seu espaço pronto para o dia seguinte. 

Dessa forma, você nunca vai perder tempo de estudo sem saber onde está o material "x" ou "y".

 

O que fazer para estudar melhor em um ambiente externo?

O que fazer para estudar melhor em um ambiente externo?

#1 Coloque seu telefone celular no silencioso ou modo avião.  

Essa dica serve para qualquer atividade que requer concentração e foco.

Em casa ou em um ambiente externo, um celular cheio de apps e redes sociais é extremamente nocivo para quem deseja estudar da forma correta.

"Ponha ele para dormir" e bom estudo :)

 

#2 Organize o seu material e faça uma lista do que precisa levar.

Imagina que perda de tempo se você sair para estudar, em uma biblioteca, por exemplo, e esquecer o seu livro de direito penal em casa?

Então, antes de sair, organize o seu material!

Faça uma lista do que precisa levar e bata todos os pontos antes de sair de casa.

Não custa 5 minutos, mas evita que você perca horas.

Eu uso este aplicativo aqui para fazer minhas anotações: https://keep.google.com/u/0/

Ah, e se você é como eu e não vive sem comer... 

Não esqueça de por na lista água e lanche! :)

É muito difícil de se concentrar de barriga vazia.

 

Organização é só uma questão de prática

Homem organizando livros para passar em concurso público

Ser organizado é só uma questão de prática

Se você definir o seu ambiente ideal e sempre deixar o seu material pronto antes da hora de estudar, terá um ganho enorme em concentração, foco e, principalmente, em tempo.

Com o passar do tempo, organizar se tornará um hábito e vai ficar tão automático fazer que vai ser igual a dirigir. :)

Mas lembre-se de uma coisa importante... 

Estudos indicam que para se criar um hábito são necessários em média 21 dias.

Já para perdê-lo, basta apenas 1 dia.

Então, nada de dar um gás na primeira semana e deixar tudo bagunçado depois.

Pensa que organização do espaço e material é igual a um banho que deve ser tomado todo dia e que não é porque você tomou hoje que não precisará tomar amanhã.

 

 

Quando começar a estudar para concurso?

Quando começar a estudar para concurso?

Antes de qualquer coisa...

Se você já concluiu a sua avaliação de perfil de aprendizagem, parabéns!

Mas se ficou com preguiça por que é um questionário grande, volta lá agora e conclui! Não perde tempo!

Tá aqui o link para você: https://materiais.vpconcursos.com.br/avaliacao-perfil-de-aprendizagem

Não custa nada e o benefício é enorme. :)

Agora que você já deu os seus primeiros passos e está aprendendo como estudar para concursos...

Chegou a hora de aprender qual a hora certa de começar a estudar para um concurso público.

 

Qual a hora certa para começar a estudar para um concurso público?

Qual a hora certa para começar a estudar para concurso público?

Muitos concurseiros possuem o hábito de esperar o edital sair para começar a se preparar, mas será que essa é a melhor estratégia?

Perguntei aos 23 consultores da VP Concursos e a resposta foi unanime... NÃO!

O ideal é começar a estudar antes do edital, e como nunca se sabe ao certo a data de publicação do edital, deve-se começar o quanto antes.

Quando você começa o estudo após o edital, as chances estão contra você, pois são muitas disciplinas para estudar em pouco tempo e a ansiedade aumenta.

Esses dois fatores podem prejudicar o processo de aprendizado e a retenção do conhecimento, fazendo com que você chegue despreparado para a prova.

Para que isso não ocorra com você, resolvi me aprofundar neste tema e pedi para a Delegada da Polícia Federal e Coach da VP Concursos, Arryanne Queiroz, me explicar quando começar a estudar para um concurso público. 

Olha só o que ela falou:

 

#1 Você não precisa ser vidente para começar a estudar antes do edital

Começar a estudar antes do edital sair não exige capacidade de adivinhação sobre quais conteúdos serão cobrados.

Como se sabe, os certames se repetem e, especialmente, na área jurídica, basta consultar o edital do certame anterior para ter um norte a seguir.

Dificilmente um edital mudará, quanto ao conteúdo programático, em mais de 10%.

Ao estudar um edital anterior, do último certame, é importante verificar as legislações cobradas, isto é, se não houve nenhuma lei --- especialmente de legislação extravagante de penal e processo penal --- modificada recentemente, se não houve leis novas, em vista da antiguidade do edital usado como base inicial.

O último edital para o concurso de delegado de Polícia Federal, por exemplo, data de 2012, promovido pelo CESPE-UnB.

Desde então, não houve edital para acesso ao cargo.

Porém, de lá para cá, houveram alterações legislativas importantes, bem como aprimoramento de compreensões judiciais, de jurisprudência.

Daí a relevância de estudar por material atualizado --- doutrina e jurisprudência, bem como legislação ---, ainda que com base em um edital antigo, mesmo que seja o último lançado.

Estudar antes do edital gera uma sensação de autoconfiança e um senso de domínio sobre o fluxo do estudo e conteúdo.

 

#2 Comece a estudar o quanto antes!

Quanto antes começar, provavelmente maior será esse sentimento de autoconfiança, com repercussão efetiva na habilidade de concentração e no ritmo de cognição individual.

Imagine começar a separar material para estudar no dia seguinte à publicação de um edital! --- só de pensar a respeito, o batimento cardíaco aumenta, dá ansiedade demais.

Ansiedade faz parte da vida de quem estuda sério para concurso.

Ansiedade descontrolada; paralisante, não.

Via de regra, a prova objetiva acontece após 3 meses do lançamento do edital.

Ocorre que 3 meses são apenas 12 semanas, geralmente.

Procure mensurar o tempo em semanas.

Isso confere melhor noção do recurso do tempo e, com consequência, permite executar um planejamento mais consistente com o seu objetivo.

Olhar para o tempo em semanas faz com que você entenda que a data da prova não está tão distante quanto parece.

Portanto, não espere pela publicação do edital para estudar.

Os trechos referentes a orientação da consultora Arryanne, foram retirados de um artigo que ela fez para o nosso Blog, é um dos mais visitados. 

Se você ficou interessado em se aprofundar neste tema, confere o artigo completo neste link: https://vpconcursos.com.br/blog/quando-comecar-estudar-para-concurso-publico

 

 

 

BÔNUS 1: Qual a carreira certa escolher?

Mulher na dúvida de qual a carreira certa escolher?

Uma das primeiras coisas que todo concurseiro faz, ou deveria fazer, assim que toma a decisão de investir na preparação para passar em concurso público é escolher a sua carreira.

Esta escolha é fundamental, pois determina para qual área de atuação você vai se preparar.

E como para cada área há um bloco de disciplinas em comum, tomando esta decisão, você dá o primeiro passo para definir o que realmente vai estudar.

As áreas mais comuns de atuação são: Jurídica, Legislativa, Administrativa, Fiscal e Controle.

Porém, nos últimos anos, algumas áreas mais específicas estão em franca ascensão, como por exemplo: TI, Arquitetura, Gestão, Biblioteconomia, Saúde, e possuem ótimas oportunidades para quem deseja ingressar na carreira pública.

Se você ainda não escolheu sua área ou está indeciso sobre qual rumo tomar, com certeza já deve ter gasto um bom tempo no Google pesquisando sobre uma ou mais áreas de atuação e, provavelmente, já encontrou diversos sites, artigos, vídeos falando de forma bem teórica o que cada área faz, qual o salário e de quantas horas normalmente é a carga horária semanal.

Por isso, quero ajudar você no processo de escolha de uma forma diferente e muito mais pessoal.

Ficou curioso? 

Então não deixa de ler este bônus até o final, pois ele está recheado de experiências e casos de sucesso que podem ajudar você a escolher de forma definitiva a área que você deseja atuar.

Uma dica simples, porém, preciosa...

Uma forma básica de escolher e que pode fazer você ganhar um bom tempo em sua preparação, é optar por concursos relacionados a sua área de atuação profissional ou graduação acadêmica.

Esta é uma escolha lógica e na maioria das vezes correta a se tomar. 

Que fique bem claro que: estudar para concurso é muito diferente de estudar para a sua faculdade de direito, por exemplo. 

Ou ainda, estudar para concurso da área bancária, é muito diferente de trabalhar 40 horas semanais (na prática, muito mais que isso...) em um banco privado. 

Porém, essa ambientação com os termos e práticas, pode sim dar a você uma vantagem na hora de estudar para o concurso desejado. 

Então, para começar, vou dividir com você a história da Consultora Legislativa da Câmara dos Deputados e Coach VP Concursos Juliana Feitoza, um exemplo prático de quem desde a faculdade já estava de olho na carreira pública e fez uso de sua paixão pelo curso de direito para ter sucesso na sua carreira como servidora pública.

Agora, com a palavra a consultora VP Concursos, Juliana Feitoza...

 

Desde que comecei a cursar Direito, percebi que não tinha nenhum perfil para atuar em escritório de advocacia.

Consultora Legislativa da Câmara dos Deputados e Coach VP Concursos Juliana Feitoza

(trecho do artigo: “MUITAS VEZES EU PENSEI EM DESISTIR, MAS A VONTADE DE CRESCER VENCEU O CANSAÇO!

Artigo escrito pela consultora VP Concursos, Juliana Feitoza, que você pode conferir na íntegra acessando este link: https://vpconcursos.com.br/blog/muitas-vezes-eu-pensei-em-desistir-mas-vontade-de-crescer-venceu-o-cansaco).  

Desde que comecei a cursar Direito, percebi que queria estabilidade no trabalho e não tinha nenhum perfil para atuar em escritório de advocacia.
 
No terceiro semestre, com pouco tempo até a prova, resolvi fazer o concurso de Técnico Judiciário do TRT 5ª Região.
 
E não é que deu certo?
 
Em outubro de 2004, tomei posse e comecei a minha estrada no serviço público.
 
As pilhas de processos trabalhistas e a maravilhosa equipe que eu tive, me ensinaram muito.
 
Mas, ao formar, vi que eu tinha que começar a alimentar meu sonho de ocupar um cargo melhor, e passei a me preparar para os concursos de analista, visando os exigidos três anos de atividade jurídica.

Veio a aprovação nos concursos de Analista Judiciário no TRF1 e MPU.
 
Em julho de 2007, tomei posse no MPU analista, grávida de seis meses, e, quando minha filha completou um ano de idade, vi que seria a hora de passar “sebo nas canelas” e voltar a estudar!

No ano de 2009, me sentia “tinindo” e fui fazendo vários concursos, de Delegado a Defensor Público!
 
Fui aprovada e tomei posse como Defensora Pública Federal em 2010.
 
Nos quase seis anos em que defendi pessoas sem recursos, descobri a minha maior realização como profissional.
 
É muito gratificante prestar assistência jurídica gratuita e fazer a diferença na vida de pessoas que quase nunca têm quem olhe para elas.
 
Instigada pela vontade de trabalhar somente estudando Direito Penal, ramo pelo qual sempre fui apaixonada, fiz o concurso de Consultor Legislativo da Câmara dos Deputados em 2014.
 
Tomei posse na Câmara em 2016 e... aqui estamos!


 

SOBRE A AUTORA

Juliana Feitoza

Consultora Legislativa da Câmara dos Deputados, aprovada no concurso de 2014 para a área de Direito Penal e Processual Penal.  Foi Defensora Pública Federal de 2010 a 2015, aprovada no 4º concurso da carreira. Ex-Técnica Judiciária no TRT 5ª Região (2004-2007) e Analista Processual no MPU (2007-2010), tendo sido aprovada também no concurso de Analista Judiciário do TRF 1ª Região, em 2006. Autora do livro “Estudos Dirigidos – Analistas – Tribunais Regionais Federais – Questões Comentadas dos Concursos de Analistas”, no capítulo “Processo Penal”, da Editora JusPodivum. Graduada em Direito pela Universidade Federal da Bahia em 2006. Pós-graduada em Direito: especialização lato sensu “Ordem Jurídica e Ministério Público”, promovida pela Fundação Escola Superior do MPDFT, em 2010.


 

A consultora Juliana passou duas mensagens extremamente valiosas para você que está definindo qual carreira tomar:

#1  Você pode se preparar para concurso ainda enquanto estuda para faculdade:

Você não precisa terminar a faculdade para escolher qual concurso focar e começar a estudar. Ficou claro no texto da Juliana que é possível se preparar ainda na faculdade. 

E quando se trata da área jurídica, há ainda um ganho adicional ao fazer isso! 

Já que para vários cargos desta área, há obrigatoriedade de 3 anos de prática. 

Inclusive esta dúvida e muitas outras foram respondidas no Webinário que os consultores Hebert Reis e Arryanne Queiroz fizeram sobre concursos da área jurídica, então, se você optou ou está inclinado a se preparar para esta área, clica neste link: https://events.genndi.com/ended/818182175026318879/60af3cac54 e confere esta aula que é imperdível e muito esclarecedora.

 

#2  A sua formação foi determinante para definir a sua área de atuação

No caso da Consultora Juliana, a paixão pela sua formação foi crucial para definir a sua área de atuação.

Outra consultora VP Concursos que seguiu firme na sua área de formação e trilhou um caminho de sucesso, foi a Luciana Cunha.

Dá uma olhada neste vídeo:

Incrível, não é? 

Mas este não é o único caminho para definir qual carreira você deve escolher. 

Até porque optar por uma área, não é uma decisão engessada e imutável. 

Vou dividir com você agora o relato do Analista do TCDF e Coach  VP Concursos Rafael Cabral, que inclusive já foi nosso aluno antes de virar consultor e que pode, com o exemplo dele, ilustrar melhor o que acabei de falar.

Com a palavra, O Consultor VP Concursos Rafael Cabral

Cheguei a achar que estava fora do meu alcance...

Analista do TCDF e Coach  VP Concursos Rafael Cabral

(trecho do artigo: “EU ACHAVA QUE SERIA PURA PERDA DE TEMPO E DE DINHEIRO, E SÓ POSSO DIZER UMA COISA...”

Escrito pelo consultor VP Concuros, Rafael Cabral, que você pode conferir na íntegra acessando este link: https://vpconcursos.com.br/blog/eu-achava-que-seria-pura-perda-de-tempo-e-de-dinheiro-e-so-posso-dizer-uma-coisa)

Durante a minha graduação, o mais próximo que cheguei na vida pública foi, ao realizar um estágio de um ano, em um gabinete de juiz.

Muitos até pensaram que isso me instigaria a partir para o sonho da magistratura, mas foi justamente o oposto que ocorreu comigo: decidi que a magistratura não era a minha praia.

Assim, após concluir minha faculdade, eu decidi morar no exterior e acabei morando por um pouco mais de três anos em Londres.

Durante esse período, eu tive a oportunidade de fazer um mestrado na área de Direito Tributário.

Foi durante a realização do mestrado, que eu tive a chance de conhecer não só pessoas de diferentes nacionalidades, como também outros brasileiros.

Nessa troca de vivências, eu conheci uma pessoa, que hoje é uma grande amiga e que naquela época me disse o seguinte: “Rafa, por que não estudas para o concurso de diplomata? Ele é tão a tua cara.”

Bem, eu honestamente naquela época nem sabia o que era ao certo essa carreira.

Eu imaginava que um diplomata apenas ficava viajando o mundo e que as indicações eram meramente políticas.

Claro que após pesquisar sobre a carreira e ver como o serviço público brasileiro havia melhorado em termos gerais, eu decidi que durante um dos meus retornos ao Brasil, eu visitaria Brasília e alguns cursinhos especializados no concurso em que estava interessado.

Eu fiz exatamente isso em agosto de 2010 e, logo de cara, eu acabei gostando bastante da cidade, pois ela era bem diferente daquilo que eu via na televisão.

Foi também nessa minha visita de apenas uma semana que eu tive a oportunidade de fazer amigos nos cursinhos e eu só posso dizer uma coisa: fazer amizades que possuem os mesmos objetivos é fundamental para um estudante de concurso!

Assim, após terminar meu mestrado e retornar definitivamente ao Brasil em janeiro de 2011, eu decidi me mudar para Brasília em fevereiro do mesmo ano para viver o sonho de estudante de concurso para diplomacia.

Como todos sabem, Brasília não é uma cidade barata, então meu plano inicial foi de estudar por meio da leitura de livros e materiais fornecidos por amigos que estavam realizando os cursinhos.

Ao chegar em Brasília em 2011, houve um concurso para a carreira de diplomata e eu prestei somente a título de experiência. Na minha cabeça, não havia problema algum em não passar, pois eu estaria mesmo preparado para o certame somente no ano seguinte.

Foi aqui que eu comecei a cair na realidade, pois ao realizar a prova em 2012 a nota que obtive foi a mesma do ano anterior, quando eu ainda nem estava estudando devidamente para o concurso!

Após esse péssimo resultado, eu até pensei em ir embora de Brasília, pois achava que os concursos eram algo muito além do meu alcance. Foi então que conversando com amigos, eu resolvi mudar o foco: deixei de estudar para diplomata e comecei a me preparar para o concurso de oficial de chancelaria.

As vezes é preciso mudar o foco...

Aqui eu farei um parêntese para esclarecer que cada pessoa tem de fazer uma autoanálise e decidir se deve manter o foco no concurso de seu sonho ou se é melhor tentar começar por carreiras com remunerações mais baixas, mas que irão de alguma forma ajudar a chegar no tão almejado certame dos sonhos.

Pois bem, eu decidi mudar o foco simplesmente pelo fato de ao começar a estudar para um concurso da área administrativa, eu poderia começar a prestar vários outros certames e não somente para aquele que eu almejava, pois a diplomacia é algo muito restrito.

Esse foi um dos problemas que senti ao estudar para a diplomacia, pois o concurso ocorre geralmente uma vez ao ano e isso acaba sendo péssimo para pessoas que não possuem experiência em concurso.

Fica aqui mais uma dica aprendida a duras penas: simular e fazer concursos como teste são coisas essenciais para a aprovação em um futuro certame.

 

Chegou a hora de procurar ajuda especializada...

Ademais, além de mudar o foco do concurso, eu decidi inscrever-me em um curso preparatório para a área administrativa e também buscar ajuda com especialistas em concursos.

Foi aí que um amigo me indicou a VP Concursos.

Honestamente, no início eu fiquei um pouco receoso, pois eu achava que seria pura perda de tempo e de dinheiro (e olha que o meu era muito escasso naquela época!).

De toda forma, eu decidi arriscar (afinal, quando estamos estudando para concursos, acabamos apelando para todos os lados) e só posso dizer uma coisa: foi o dinheiro mais bem investido da minha vida, pois consegui combinar o aprendizado do curso preparatório com estudos mais focados.

Graças à VP Concursos, eu pude maximizar meu tempo de estudo por meio da elaboração de cronogramas; e eu também era constantemente monitorado por meio da realização de simulados e redações. Além disso, meu consultor estava sempre disponível para me auxiliar com dúvidas e na elaboração de recursos, mesmo isso não sendo uma obrigação da parte dele.

Assim, no início de 2013, os resultados vieram e eu consegui ser aprovado, dentro das vagas, em três concursos na área da educação: Inep (4º colocado) como técnico; Capes (3º e 44º colocado) como técnico e analista. Já no ano 2014, eu consegui lograr várias aprovações dentro das vagas no Judiciário como técnico e analista e, ainda naquele mesmo ano, eu fui aprovado dentro das vagas como analista no Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), que é o órgão onde trabalho atualmente.

Meu desempenho no ano de 2014 foi tão bom que cheguei a estar dentro do top 10 de aprovados no site Mundo dos Resultados.

Como podem ver, eu me mudei para Brasília com uma ideia na cabeça, mas ao longo do percurso, eu acabei mudando completamente os meus planos.

Eu acho que muitas vezes é o concurso que acaba nos escolhendo e não somos nós que escolhemos ele.

Hoje, eu estou muito feliz, pois sou um cara completamente independente financeiramente e feliz com os trabalhos que tenho desempenhado dentro e fora do Tribunal.

Ah, se alguém me perguntar se fui aprovado para o concurso de oficial de chancelaria, a verdade é que eu fui aprovado e convocado em 2016, mas acabei ficando mesmo no TCDF, pois estou feliz aqui e preferi não mexer em time que está ganhando!

Por saber justamente quanto é difícil muitas vezes o caminho da aprovação (e como sei!), eu decidi ser um dos colaboradores da VP Concursospois espero poder ajudá-lo com toda a experiência adquirida ao longo desses anos e encurtar o caminho da tão sonhada aprovação!

Pode ter certeza de que não medirei esforços para isso. Um forte abraço e bons estudos!

 


SOBRE O AUTOR

Rafael Cabral

Atualmente, servidor do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), cargo de Analista de Administração Pública. Já trabalhou como Analista em Ciência e Tecnologia na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e como Técnico Administrativo no Superior Tribunal Federal (STF). Formado em Direito pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Principais convocações: INEP 2013: Técnico em Informações Educacionais; CAPES 2013: Assistente e Analista em Ciência e Tecnologia; MINC 2013: Técnicas de Suporte III – Nível Superior em Ciências Humanas e Sociais; MPU 2013: Técnico e Analista – Área Administrativa; STF 2013: Técnico da Área Administrativa; MDIC 2014: Analista de Administração Pública e TCDF 2014: Analista de Administração Pública.


 

Curtiu? 

Espero que sim :)

O Consultor VP Concursos, Pedro Guimarães, também optou por mudar de carreira no decorrer do seu progresso na preparação para concursos e deu super certo, confere agora esse vídeo:

 

Por fim, quero dividir uma história esclarecedora em relação a ter certeza do que você quer como carreira.

Evitar decisões erradas podem fazer você ganhar tempo e evitar um grande gasto de energia em algo que não vai te realizar.

A Consultora VP Concursos, Paula Gonçalves, passou por uma situação como essa...

E é com o relato dela que eu encerro este tópico. 

Com a palavra, a Consultora da Câmara dos Deputados ​ e Coach da VP Concursos, Paula Gonçalves:

Eu nunca quis ser concurseira

Consultora da Câmara dos Deputados ​ e Coach da VP Concursos Paula Gonçalves

(trecho do artigo: “EU NUNCA QUIS SER CONCURSEIRA”

Escrito pela consultora  VP Concursos Paula Gonçalves, que você pode conferir na íntegra acessando este link: https://vpconcursos.com.br/blog/eu-nunca-quis-ser-concurseira)  

Eu nunca quis ser concurseira. 

Quis ser muita coisa, por isso, a minha primeira faculdade foi cinema, na UnB. 

Eu tenho na minha cabeça que ninguém é talhado para fazer uma coisa só. 

Temos um monte de aptidões, umas exploradas, outras não. Eu tentei um monte...Rsrsrs.

Como cinema não estava dando muito certo, fiz Educação Física. 

Quando estava me formando, abriu o concurso para Agente da Polícia Federal, isso em 2000. 

Um amigo me disse que existiria a possibilidade de dar aulas de Educação Física na Academia de Polícia, como Agente.

Decidi encarar.

Estudei dois meses para o concurso. 

Meu pai, Defensor Público de carreira, cansou de me dizer que aquilo não era para mim, que eu não sabia nada de Direito (e não sabia mesmo). 

Só que eu passei.

E nem passei tão mal assim, mas como no meu concurso foi todo mundo parar na fronteira, acabei no Acre.

Aqui que eu paro para fazer um adendo, só faça concurso para polícia se realmente tiver aptidão para a coisa. 

Não é certo fazer concurso para polícia na expectativa de sentar atrás de uma mesa. 

Não é certo nem para o Serviço Público, nem para você.

Tem muito cargo por aí que não te exige correr atrás de bandido. 

Faça um favor a si mesmo e busque algo que tenha a ver com você.

Começando do zero

Depois de um ano na Polícia Federal, entre idas e vindas para o Acre (estive na Academia algumas vezes), me disseram que não seria mais possível que eu desse aulas.

Daquele dia em diante eu teria de exercer interinamente o cargo de Agente de Polícia Federal lotada no Acre. 

Pedi exoneração.

Acho que foi a coisa mais corajosa da minha vida. 

Eu sabia que não servia para aquilo. 

Não era boa Agente e não podia exercer a profissão só pelo salário. 

Sai da Polícia com uma ideia fixa, queria ser Auditora da Receita Federal.

Vim para Brasília, comecei do zero, e fui fazer Direito. 

Não deu um ano, passei para APO – MPOG. 

Nem tinha começado o curso de formação, no dia do meu aniversário, recebi a notícia de que tinha ficado em segundo lugar para o concurso da Receita. 

Aí, minha vida deu uma volta.

Se eu dissesse que na Receita tudo são alegrias, estaria mentindo. 

Contudo, talvez seja o melhor órgão para se trabalhar. As atividades são tão diversas que você só fica infeliz se quiser. Já fiz de tudo.

Depois da Receita, passei para Cartório, para Analista do Senado, para Consultor do Senado e, agora, para Consultor da Câmara. 

De 2000 para cá já são quase 20 anos de carreira...

 


SOBRE A AUTORA

Paula Gonçalves

Consultora da Câmara dos Deputados na área de Tributação e Finanças, ex-Auditora da Receita Federal do Brasil (2º Lugar no concurso de 2003 para Brasília). Aprovada para Agente da Polícia Federal (2000), Analista de Planejamento e Orçamento (2003), Delegação de Notas e de Registro do Estado de Minas Gerais (2011), Analista de Processo legislativo do Senado (2012). Mestre em Direito Tributário pela Universidade Católica de Brasília - UcB, Graduada em Direito pelo UniCeub em 2008, com pós graduação em Direito Constitucional pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (2011).


 

Espero fortemente que estes exemplos de vida possam ter impacto e também ajudar no seu processo de escolha da carreira.

 

Você pode perceber que há muito mais fatores que ajudam ou atrapalham uma decisão do que uma lista de atribuições do cargo.

Mas agora é com você...

Boa escolha e bons estudos!

 

 

BÔNUS 2: O que esperar do mundo dos concursos para 2019

O que esperar do mundo dos concursos para 2019

Olá, concurseiro!  

Estamos chegando ao final deste módulo e para finalizar com chave de ouro, quero dividir com você uma publicação que fiz em conjunto com 4 consultores VP Concursos de diversas áreas no final de 2018, sobre como será o mundo dos concursos para este ano com a mudança na presidência do Brasil e a situação das vagas para concursos públicos para 2019.

Para acessar o artigo completo, basta clicar neste link: https://vpconcursos.com.br/blog/bolsonaro-presidente-concurso-publico

Ah, no final do artigo tem uma lista bem legal das oportunidades que estão programadas para 2019, dá uma conferida lá. 

Também quero deixar aqui para você o link de um artigo completo feito pelo Analista do Senado e Coach da VP Concursos Roberto Rondon sobre o que esperar do mundo dos concursos para o ano de 2019, neste artigo ele fala sobre:

1. A PLOA e as oportunidades de concursos Federais para 2019

2. Dá dicas do que fazer e sugestões de oportunidades para 2019

3. No fim do artigo ele dá uma grande sugestão de uma oportunidade incrível para este ano. 

Para conferir o artigo e ficar antenado no que vai acontecer este ano, basta clicar agora neste link:  https://vpconcursos.com.br/blog/concursos-2019

 

 

 

MÓDULO II

 

 

Estudar certo começa pelo entendimento completo do edital 

Estudar certo começa pelo entendimento completo do edital

Uma coisa que todo concurseiro deveria saber, mas que muitos não sabem, é como entender um edital. 

Não dá para estudar para concurso público sem saber o que você deve estudar e o que vai encontrar no dia da prova, não é verdade?

Entenda, não faz o menor sentido um concurseiro se programar e estudar diversas horas por dia e ter preguiça exatamente de ler as regras do seu concurso.

É a mesma coisa de um jogador de futebol treinar 6 horas por dia como fazer gols e não saber a regra do impedimento (e o pior que isso acontece também...).

Ou seja, na hora da verdade, ele vai falhar.

Pois comprometeu todo o esforço e dedicação dos treinos, por não ter estudado as regras do jogo.

Com concurso é a mesma coisa...

Já vi bons concurseiros, preparados, perdendo a prova por conta de chegar atrasado ou não ter a caneta certa para fazer a prova. 

Acredita?

Trabalho com concursos há muito tempo e garanto uma coisa a você, casos assim são muito mais comuns do que parece.

É por isso que eu tenho um recado importante para você:

Leia o edital! 

Sem preguiça, sem desculpas... Leia o edital por completo! 

E como um bom resultado na hora da prova, depende também de um bom entendimento das regras, vou dividir agora com você, as mais importantes recomendações para ajudar você a fazer o uso dos dados contidos no edital e mandar bem desde o início da preparação até o grande dia \o/ 

 

Como entender um edital 

Mulher quer saber como entender um edital

Para entender o edital, primeiro você precisa entender a estrutura dele!

A seção mais básica é a das "disposições preliminares", onde será apresentada a banca organizadora, o local das vagas, o regime jurídico dos cargos oferecidos, e outras informações básicas.

Logo após, é de costume encontrar a relação das vagas e as exigências oferecidas para se candidatar (essa parte merece bastante atenção pois se o candidato não cumprir um único requisito, ele será impedido de tomar posse caso seja aprovado). 

O edital ainda inclui tópicos onde serão indicados as datas e etapas do concurso, além de instruções para a inscrição e também critérios de avaliação da banca. 

Já o conteúdo cobrado em cada prova, muitas vezes é encontrado nos anexos. 

A partir de agora vou destrinchar cada um destes pontos...

# Datas e horários:

Praticamente em todo concurso tem alguém que não faz a prova por chegar atrasado ou confundir as datas.

Por favor, nunca seja essa pessoa! 

Fique atento a todas as datas e horários contidos no edital. 

De preferência, anote em um lugar de fácil visualização para que não tenha a mínima chance de você esquecer ou se confundir.

Muito cuidado principalmente com o período entre outubro e fevereiro, pois o famoso horário de verão já foi responsável por tirar muito concurseiro bom da jogada.

# Requisitos da prova e do cargo

Já pensou estudar 6 meses para um concurso, ser aprovado, só para depois saber que você não atende a algum dos requisitos do cargo

Deve ser uma sensação horrível de amaçar 6 meses de sua vida e jogar no lixo.

Definitivamente não quero que isso aconteça com você, por isso tenha bastante atenção ao ler os requisitos do cargo, se ficou com alguma dúvida, não deixe para depois...

Há uma grande chance de você esquecer e só perceber quando não tiver mais jeito.

Outro detalhe importante, fique atento também as instruções para o dia da prova.

Você quer ser eliminado por que esqueceu a caneta preta transparente? 

Tenho certeza que não.

# Etapas do concurso, pontuação e conteúdo programático.

Estas informações são fundamentais para você realizar o seu plano de estudo.

Para criar um cronograma adequado ( https://vpconcursos.com.br/blog/cronograma-de-estudos), por exemplo, será necessário você saber: quais são as disciplinas que irão cair na sua prova; quais etapas o seu concurso terá (normalmente os concursos possuem pelo menos uma prova objetiva e uma discursiva) e qual o peso de cada prova e disciplina.

Ou seja, você vai encontrar nestes pontos do edital uma parte considerável do que vai ditar todo o seu planejamento de estudo até a data da prova. 

Então, leia e releia quantas vezes for necessário para que você tenha um entendimento perfeito destas informações.

Sugiro que você inclusive crie uma tabela no word ou excel e copie e cole todos os pontos do seu conteúdo programático para organizar o que será cobrado e o que você já estudou.

O Delegado de Polícia do Espirito Santo e  Coach da VP Concursos Augusto Garcia, criou um artigo orientando especificamente como criar um edital esquematizado para você organizar melhor o seus estudos e otimizar sua preparação, para conferir basta clicar no link: https://vpconcursos.com.br/blog/como-criar-edital-esquematizado

Ah, e caso você queria se aprofundar ainda mais em como entender um edital, recomendo fortemente que você leia este artigo: https://vpconcursos.com.br/blog/como-entender-um-edital

Ele foi criado pelo Auditor da Receita Federal e Coach da VP Concursos, Pedro Guimarães, e é um guia para quem deseja extrair o máximo do edital e aumentar o resultado na hora da prova (não deixe de ler as 4 dicas bônus). 

Agora que você já sabe o que é mais importante em um edital, chegou a hora de conhecer como definir metas e estudar o que realmente importa.

Fazer isso é crucial para impulsionar sua preparação e alcançar os melhores resultados

 

 

Como definir metas de estudo e estudar o que realmente importa?

Como definir metas de estudo e estudar o que realmente importa?

Um bom planejamento é fundamental para você estudar certo e não perder tempo andando em círculos, perder o foco, ou ainda nos casos mais críticos, perder o interesse em estudar para concursos por está frustrado pelo fato de ter a impressão de não está evoluindo nada com o passar do tempo.

Estabelecendo e cumprindo metas, você pode mensurar os seus resultados, consequentemente, terá a percepção de sua evolução nos estudos e isso é fundamental para você se manter focado em dar o próximo passo e ficar mais próximo do seu objetivo final.

 

Elaborando metas para impulsionar seus estudos 

Eleborando metas para impulsionar seus estudos

Há dois passos iniciais que você precisa tomar para elaborar metas da forma correta:

1 - Analise o TEMPO real que você tem disponível para estudar.
2 - Entenda o que é MAIS IMPORTANTE no seu edital.

Agora vou falar com mais detalhes sobre cada um destes pontos:

 

#1 Analise o tempo real que você tem disponível

Antes de criar qualquer meta, você precisa saber quanto tempo do seu dia e da sua semana você pode destinar ao cumprimento dela.

Trabalho na VP Concursos a mais de 5 anos e já perdi a conta da quantidade de alunos que antes de iniciar a consultoria me informa através de um questionário que tem 16,17 até 20 horas disponíveis para estudar durante o dia.

A não ser que você seja um robô, programado para passar em concurso (quase o exterminador do futuro...kk) isso não é possível. 

Entenda uma coisa, ir ao banheiro custa tempo, dormir gasta tempo, se alimentar, tomar banho, lavar prato, cozinhar, cuidar dos filhos pequenos, trabalhar...

Enfim, todo mundo tem atividades de rotina importantes (para se manter vivo inclusive... rs), que demandam tempo.

E como é rotina, as vezes você nem se lembra que faz, mas a verdade é que você faz e gasta tempo.

Ou seja, mesmo que você tenha saído do trabalho para se dedicar exclusivamente aos estudos ou não tenha crianças pequenas para cuidar (só deus sabe quanto demanda tempo cuidar de criança pequena...) ainda sim, você terá outras atividades no seu dia que são fundamentais e, consequentemente, será necessário dedicar tempo a elas. 

Por isso, é muito importante que você entenda quanto realmente você tem de tempo disponível para estudar, só assim você poderá traçar metas desafiadoras, porém, alcançáveis, que não irão te frustrar e fazer desistir por serem "muito agressivas".

Se você está lendo este guia desde o começo, em nosso primeiro módulo eu ensino uma técnica bem legal para você aprender a criar em sua rotina semanal um espaço para estudo. Se você ainda não viu, dá uma olhada aqui.

 

#2 Entenda o que é MAIS IMPORTANTE no seu edital

Independente do concurso que você escolheu para estudar, uma coisa é fato!

Você terá uma lista enorme de conteúdo.

Mas será que estudar tudo seguindo a ordem que está disponibilizada no edital é o melhor caminho?

Com certeza não!

Algumas pessoas acreditam que, para passar em um concurso público, é preciso dominar todas as disciplinas indicadas no material programático do edital.

Entretanto, geralmente não é possível e, por isso, estudar com mais intensidade as disciplinas que aumentam as chances de aprovação é fundamental.

Mas como identificar o que mais cai na prova e quais são os assuntos mais importantes?

A resposta é, pesquise:

Analise as últimas provas do concurso do seu interesse e registre a porcentagem de aparição dos conteúdos de cada disciplina.

Confesso, é bem trabalhoso... Mas é  bastante recompensador!  

Depois de saber o que mais cai nas provas, agora é ir para o edital e conferir o peso e a quantidade de questões programadas para cada disciplina. 

Após concluir a análise, construa uma tabela com os dados coletados e direcione as suas energias para o que realmente importa!

Agora que você já deu os dois primeiros passos vamos para o próximo.

Seja "esperto" com as metas S.M.A.R.T

Faça suas metas com a técnica S.M.A.R.T

Apesar do trocadilho horrível que utilizei neste título... rsrs

A técnica S.M.A.R.T é uma das ferramentas mais utilizada para a criação de uma meta eficaz.

Neste método, cada inicial representa uma característica que a meta deve contemplar:

Traduzindo para o nosso idioma seria:

Específica, Mensurável, Atingível, Realista e Tempo

Para facilitar vou dar um exemplo de meta com esta técnica:

Ex: Resolver 17 exercícios de Concordância Verbal em 1 hora.

Essa meta é específica, porque aborda exatamente o que é preciso ser feito. 

É mensurável, pois deixa claro a quantidade de exercícios necessários para a conclusão da tarefa (17 exercícios).

Também é atingível, pois dá a você 1 hora para cumpri-la. (Aqui é importante ficar atento ao nível do exercício quando for estimar o tempo necessário para conclusão... já falamos sobre metas superagressivas, certo?)

É realista, porque este é um conteúdo que você precisa ter conhecimento até a prova.

E por fim, é possuir um tempo definido para conclusão da atividade. 

Então, sempre que você for construir uma meta para o seu programa de estudo diário ou semanal, pense nesta técnica como um passo a passo fundamental para sua construção.

Você vai perceber que criando metas realistas você consegue focar no que é mais importanteotimizar seu tempo e aprender mais. 

E uma dica extra:  como suas metas se tornarão mensuráveis, comece a registrar os seus resultados,  isso vai te permitir saber qual sua situação atual e quanto ainda precisa ser feito para atingir o seu objetivo. 

É muito mais fácil estudar sabendo que você acertou 70% dos exercícios de concordância e precisa na próxima meta acertar 85%, do que criar um cronograma com informações abstratas que ao passar duas ou três semanas você não lembra mais nem o que foi feito.

Ah, e falando em criar um cronograma, este será o próximo tema do nosso guia.

 

 

Como criar um cronograma ?

Como criar um cronograma ?

Este provavelmente é um dos pontos mais precioso deste manual.

Elaborar um plano de estudo é fundamental para quem quer ser aprovado em concurso público.

E uma das ferramentas mais importantes para fazer esse plano dar certo é o cronograma.

Você não é obrigado a elaborar um cronograma para estudar para concurso público, porém, quem se adapta a esta ferramenta está em uma grande vantagem em relação a quem não faz uso dela.

Mas o fato que muitos concurseiros não sabem, é que não basta apenas criar umas colunas e linhas em uma planilha de Excel para criar um cronograma eficiente e acabam aprendendo da forma mais dolorosa, sendo reprovado em vários concursos, onde é preciso um conjunto de técnicas certas para criar um cronograma de estudos adequado. 

Devido a importância deste assunto e, principalmente, porque não quero que você perca seu tempo estudando da forma errada, que eu chamei 4 coachs da VP Concursos, especialistas em concurso público, com várias aprovações nos certames mais importantes do país, para ensinar a você como criar um cronograma de estudos que aumente exponencialmente as suas chances de ser aprovado mais rápido.

E para conhecer o caminho das pedras de como elaborar um cronograma de estudo para concurso público, basta clicar no link abaixo, pois foi necessário um artigo completo para destrinchar este tema e dar a você o passo a passo simples e seguro para dominar essa ferramenta:

https://vpconcursos.com.br/blog/cronograma-de-estudos

Neste artigo, você vai aprender:

# Como criar um cronograma de estudos;

# A importância de construir um cronograma e estudar de forma organizada;

O passo a passo para criar um cronograma de estudos infalível, tanto no planejamento macro quanto no micro;

Como construir um cronograma de estudos baseado nos tipos de disciplinas: disciplinas estruturantes e disciplinas Motivantes;

# Um exemplo prático de como criar um cronograma de estudos para Área Fiscal (pode ser facilmente adaptado para as outras áreas);

# O que não pode faltar em um cronograma para a área policial;

O Segredo para ser aprovado mais rápido e os 3 tipos de planejamento para concurso público;

Como criar um cronograma de estudos dinâmico;

Além de várias sacadas em todo o artigo, dicas incríveis que podem ser a informação que faltavam para você otimizar a sua preparação e aprovação.

Não perde mais tempo, clica agora e conferehttps://vpconcursos.com.br/blog/cronograma-de-estudos

Eu vou estar aqui esperando você para o próximo tópico deste módulo.

Boa leitura! :)

 

 

3 dicas quentes para ajudar você a escolher o material certo na hora de estudar

dicas para escolher o material certo na hora de estudar

Tem muito concurseiro que acha que o simples fato de comprar o livro é o suficiente para absorver o conteúdo que está dentro dele.

Aí inventa de sair por aí comprando tudo que é vídeo aula, PDF, apostila...

Mas a verdade é que não é a quantidade de material que vai fazer você estudar certo, nem é comprando mais livros que você vai ser aprovado mais rápido.

De nada adianta sair por aí comprando todos os livros que você ver pela frente.

Poupe seu tempo e dinheiro e escolha melhor o material que mais for útil para você.

Aposte em um material de qualidade (de preferência, direcionado para concursos públicos), o qual você consiga entender bem e que esteja o mais atualizado possível.

E para ajudar você é que a partir de agora vou te dar 3 dicas quentes para você escolher o material certo na hora de estudar. 

Vamos nessa? \o/

 

# DICA 1 - Escolha materiais atualizados

É muito importante verificar se o material que você deseja adquirir está atualizado.

Disciplinas da área jurídica e principalmente atualidades tendem a atualizar o conteúdo com frequência.

Nestes casos é recomendável que você opte por publicações mais recentes.

Já imaginou ter que chegar na prova para perceber que o material que você estudou (para dar aquela economizada...) era desatualizado e não contemplava muito do que estava ali na sua frente?

Ruim né?

Isso já aconteceu com muitos concurseiros...

E é para não acontecer com você que estou te dando esta dica.

Mas você pode pensar: e para as disciplinas que não mudam tanto, ou que pelo menos não costumam mudar com frequência? 

Posso aproveitar meu livro da 5º série (nem é assim que se chama mais hoje em dia... até isso atualizou) e economizar um dinheiro?

De jeito nenhum! 

Mesmo para as disciplinas que não mudam com frequência, o ideal é optar por materiais atualizados e edições mais recentes.

# DICA 2 - Quantidade x Qualidade

Aprendi com o professor Hebert Reis em uma postagem super legal que ele fez sobre como fazer revisão para concursos públicos de forma eficiente que é  “Melhor ler um mesmo livro dez vezes a ler dez livros uma vez

Só se aprende bem, para ser competitivo em concurso público, quem conclui ciclo de aprendizado

Então foque na qualidade ao invés de sair por aí comprando dezenas de materiais para a mesma disciplina.

Escolha um bom livro por disciplina e tire o máximo dele.

A Consultora e Coah Laura Mattos abordou isso neste artigo além de dar boas dicas para você escolher o melhor material de estudo...

Confere aqui: https://vpconcursos.com.br/blog/tudo-que-voce-precisa-saber-para-escolher-o-material-de-estudo-certo-e-nao-ir-falencia

 

# DICA 3 - Conheça o edital e procure materiais próprios para concursos

Dê preferência a materiais próprios para concursos, estes materiais foram elaborados com a finalidade de preparar você para ser aprovado em concurso público e, por isso, normalmente possuem uma abordagem para facilitar este aprendizado.

Outra coisa que você precisa fazer é conhecer o seu edital.

Não dá para se preparar para um concurso sem saber cada ponto que será cobrado em cada matéria.

Da mesma forma que não dá para comprar um material de estudo para determinada disciplina sem saber o que é preciso estudar.

Estas são dicas simples para você por em prática agora mesmo e que vão ajudar você na hora de escolher o seu material de estudo. 

Se quiser saber mais sobre como entender um edital você pode acessar este artigo: https://vpconcursos.com.br/blog/como-entender-um-edital

Quer mais dicas como estas? Clique no botão abaixo e faça o download grátis do eBook: Os segredos que os concurseiros aprovados não contam.

 

 

 

Faça exercícios e simulados e entenda como sua banca pensa

Faça exercícios e simulados e entenda como sua banca pensa

Uma das práticas mais recomendadas para quem está se preparando para concurso é:

Faça provas e simulados!

E isso tem uma justificativa...

Quem faz simulados tende a se sentir mais seguro no dia da prova, porque já conhece a forma como as questões são cobradas pela banca examinadora, reduzindo o efeito surpresa, a ansiedade e o medo do desconhecido.

Da mesma forma, procure também as provas antigas para o mesmo cargo que você está se preparando e refaça-as.  

Estudos mostram que resolver provas com questões de várias disciplinas aumenta a retenção do conteúdo.    

Isso ocorre porque o cérebro precisa se esforçar mais para recuperar o conteúdo memorizado. 

E, quanto mais esforço, mas retenção e aprendizagem. 

Além de que você terá a oportunidade de identificar fatores que podem atrapalhar seu desempenho no dia da prova e já pensar em uma estratégia para enfrentar possíveis obstáculos.

Agora que você já sabe das vantagens de incluir a realização de exercícios e simulados no seu cronograma, vou te dar 3 dicas incríveis para ajudar você a usar de forma ainda mais eficiente esse recurso.

# Dica 1 - As Bancas não costumam mudar muito o estilo das provas

Isso é um fato!

Quanto mais exercícios e simulados de uma determinada banca você fizer, mais você entenderá as características desta banca.

As instituições não mudam muito o estilo das provas e, muitas vezes, até repetem determinadas questões que caíram em edições anteriores.

Sendo assim, conhecer a banca, se acostumar com sua linguagem e aplicar o conhecimento adquirido é uma estratégia muito eficiente para otimizar o estudo. 

Então, não deixe de incluir em seu cronograma metas relacionadas a realização de simulados e questões de provas anteriores da banca do concurso que você pretende realizar.

Muitos concurseiros estudam muito os conteúdos dos livros esquecendo-se de fazer questões ou simulados.

Nesse caso, acabam aprendendo as matérias, mas não “pegam o macete” para saber interpretar e responder corretamente as questões cobradas pela banca.

# Dica 2  -  Cronometre o seu tempo de prova

Quando for fazer um simulado, nunca esqueça de cronometrar o seu tempo de “prova”, pois é isso que vai tornar seu simulado fidedigno.

Já que, quando você consegue simular o tempo gasto em cada questão, o ambiente de prova, a escassez de tempo, o nervosismo que a prova gera em você, e as demais emoções envolvidas no dia da prova, você irá conseguir adquirir práticas e simular também o seu desempenho.

Dessa forma, as chances de que você irá ter um desempenho muito melhor no dia do seu concurso serão muito maiores, pode acreditar no que eu estou falando!

E é por isso que os simulados são fundamentalmente importantes nessa fase da preparação, pois serão um dos seus maiores aliados.

Retirei essa dica do artigo criado pela Consultora e Coach Isadora Jinkings – “3 TÉCNICAS SIMPLES QUE VÃO FAZER VOCÊ APRENDER MUITO MELHOR”

Para conferir o artigo na íntegra, basta clicar neste link: https://vpconcursos.com.br/blog/3-tecnicas-simples-que-vao-fazer-voce-aprender-muito-melhor

# Dica 3 -  Receba centenas de provas, questões de concursos e simulados

Na VP Concursos, nossos alunos realizam simulados presenciais com frequência e provas multidisciplinares de concursos anteriores. 

E você poderá baixar todo esse material de estudos apenas fazendo agora a sua inscrição grátis, clicando no link: https://materiais.vpconcursos.com.br/provas-questoes-de-concurso-simulados

O que você irá encontrar após se inscrever grátis?

1. Simulados com Questões Inéditas: cadernos de provas com questões inéditas dos simulados presenciais realizados pela VP Concursos em Brasília.

2. Provas de Concursos Organizadas: compilado de provas de concursos separadas por matéria, banca e ano.
  
3. Questões de Concursos: seleção de questões de provas de concursos organizadas em formato de simulado ou separadas por matéria, banca e ano.

4. Questões Discursivas com Respostas: questões discursivas inéditas elaboradas pelos consultores da VP Concursos.

E o mais legal, sempre que a VP Concursos criar um novo simulado ele será disponibilizado gratuitamente para download!

Curtiu essa dica, então se cadastra agora!

Tenha acesso a provas e simulados VP Concursos

E se você quer saber a forma mais eficaz de enfrentar o " bicho papão" dos concursos, não deixa de ver o próximo tópico...

 

 

Conheça a melhor forma de elaborar a sua prova discursiva

Conheça a melhor forma de elaborar a sua prova discursiva

Chegou a hora de falarmos do bicho papão da preparação para concurso público

A palavra "DISCURSIVA" põe medo em muitos concurseiros bem preparado...

Mas porque isso acontece?

Será que você está estudando para prova discursiva da forma correta?

Para me ajudar com esse tema convidei a Procuradora do Estado do Paraná e Coach da VP Concursos Luciana Cunha, que além de ser aprovada em mais de 10 concursos públicos, é especialista neste tema e vai ensinar a melhor forma de elaborar uma discursiva. 

Chegou a hora de você saber como transformar este assunto que põe medo em muitos em uma vantagem real para você na hora da prova.

Com a palavra, a consultora Luciana Cunha:

 

10 passos simples para você vencer o medo e ter sucesso em provas discursivas

10 passos simples para você vencer o medo e ter sucesso em provas discursivas

Olá, concurseiro!

Sabemos que os concursos estão cada vez mais exigentes e os candidatos cada vez mais preparados, não é mesmo?

Por essa razão, é muito importante pensar na preparação para as provas de forma global, sem negligenciar nenhuma das etapas previstas no edital!

A maioria dos certames tem cobrado, além da fase objetiva, que consiste em questões de múltipla escolha (a,b,c,d,e) ou afirmativas para julgamento em certo/errado (c/e), uma fase discursiva, que exige a produção de uma redação/dissertação/questão, ou seja, a elaboração de um texto pelo próprio candidato a respeito de um assunto escolhido pela banca organizadora.

E não é raro ouvir de um candidato que acabou perdendo muitas posições no concurso porque se preocupou com a fase objetiva e deixou de lado a fase discursiva, que também exige estudo e muito treino!

Por essa razão, elaborei este tópico com as informações essenciais para que você aprenda a elaborar um texto de qualidade, no tempo e espaço propostos na prova que escolher!

Os 6 medos que rondam a mente dos concurseiros

Quando converso com candidatos a respeito das provas discursivas, identifico os seguintes medos:

#1 surpresa do tema: e se eu não souber nada sobre o tema cobrado?

#2 controle do tempo para resposta: como faço para controlar o tempo durante a realização da prova discursiva?

#3 organização das ideias: de que maneira consigo incorporar no texto todas as minhas ideias sem que o conteúdo fique confuso?

#4 identificar os pontos que o examinador espera que o candidato aborde: o que o examinador espera que eu trate sobre esse assunto? (Principalmente quando o assunto é amplo demais)

#5 abordar o máximo de conteúdo no menor espaço (já que, via de regra, os espaços são pequenos): como inserir todas as minhas ideias em apenas 20 ou 30 linhas?

#6 não cometer rasuras em exagero (pois algumas são inevitáveis): como não cometer rasuras e deixar meu texto mais “limpo” e agradável de ser lido?

Você sente algum desses medos?

Neste artigo, vou mostrar a você os 10 passos para acabar definitivamente com todos esses medos e produzir um texto de ótima aparência e conteúdo, dentro do espaço e tempo propostos pelo concurso que escolheu, aumentando em 3x as suas chances de ser aprovado para o cargo que tanto sonha! :)

# Passo 1 - Controle o tempo disponível 

O tempo para a resolução da prova discursiva pode variar de concurso para concurso. 

Em alguns certames, a prova é realizada em conjunto com a fase objetiva, o que dificulta ainda mais o controle do tempo.

Diante de tantas variáveis, o mais importante é que você calcule um tempo, cronometre e respeite essa divisão, considerando que é necessário um tempo para organizar as ideias (e vou te mostrar como fazer isso) e um tempo para escrever o seu texto.

Assim, recomendo que no tempo possível, você separe 1/3 para organizar e 2/3 para escrever.

Ex: se tiver 1h30 para resolver a prova discursiva, separe 30 minutos para organizar as ideias e 1h para escrever o texto propriamente dito.

Você pode até ter dúvidas do motivo pelo qual precisaria de mais tempo para escrever do que para organizar as ideias, já que refletir sobre o tema exige tempo. 

No entanto, se você fizer isso, vai correr alguns riscos:

a) pode não ter tempo de concluir o texto;

b) pode ter que correr para concluir, o que vai te fazer cometer mais rasuras e escrever com uma letra não tão legível;

c) pode impossibilitar a revisão do texto (algo que é essencial).

Assim, ao dividir o seu tempo para realizar a discursiva, sempre tenha em mente que: melhor do que perder seu tempo precioso se aprofundando demais no tema (o que é muito difícil em 20 ou 30 linhas), e correr o risco de entregá-lo cheio de falhas, é você fazer um texto simples, em bom português, limpo, claro e coeso.

 

# Passo 2 - Controle o espaço disponível   

Após separar o tempo para a resolução da prova, você vai precisar estimar o uso das linhas disponíveis para não correr os seguintes riscos:

a) deixar muitas linhas em branco (e em alguns certames há desconto por linhas em branco);

b) faltar linhas para colocar todo o conteúdo;

c) “espremer” a letra para fazer caber o conteúdo, deixando a letra ilegível ou o texto poluído demais.

Assim, no rascunho, faça uma marcação dos espaços em que vai iniciar cada parágrafo. 

Em 20 ou 30 linhas, que é o espaço disponível na maioria das provas discursivas, é razoável que você faça de 4 a 6 parágrafos, sob pena do seu texto ficar com períodos muito curtos ou muito longos.

Ex: em uma dissertação de 30 linhas, marque os parágrafos necessários para a introdução, desenvolvimento e conclusão. 

Supondo que desenvolverei 3 aspectos do tema, posso separar 6 linhas para a introdução, 6 para cada aspecto (3 parágrafos de 6 linhas) e mais 6 linhas para a conclusão.

 

# Passo 3 - Identifique o tema

Sabemos que na hora do nervosismo, muitos candidatos fazem uma leitura apressada da questão discursiva e isso pode acarretar na sua reprovação ou rebaixamento no concurso.

Assim, é imprescindível fazer uma, duas, até três leituras da questão ou problema apresentado, procurando grifar as palavras-chaves do enunciado, que vão lhe ajudar a identificar o que o examinador realmente quer saber.

Pior do que não saber o tema, é conhecer o assunto, mas não ter abordado os principais aspectos por falta de atenção!

Portanto, não ignore essa leitura atenta e a repita, ao menos uma vez.

Ex: em uma leitura rápida e sem cuidado, você conclui que o examinador quer saber sobre o tema "guerra". No entanto, em uma análise mais atenta, após a sua revisão, você percebe que o tema central não é qualquer guerra, mas sim "a segunda guerra mundial".

 

# Passo 4 - Crie alternativas quando há desconhecimento sobre o tema

Caso desconheça o tema, não se desespere. A pontuação da prova discursiva é composta não apenas de abordagem do tema, mas de coerência, coesão, ortografia, etc (e essa informação consta expressamente no edital do concurso; por isso, nunca deixe de ler o edital!)

Se não souber absolutamente nada sobre o tema, mas souber algo sobre um assunto paralelo, sobre o conjunto ou contexto em que esse tema está inserido, tente abordar o que sabe e mencionar o tema cobrado.

Obviamente, você não obterá a pontuação total na prova, mas não correrá o risco de zerar. E, a depender da forma como abordar o tema, pode conseguir até mesmo uma nota média a alta, a depender da rigidez na correção.

Ex: se o tema for a segunda guerra mundial e você não souber nada sobre o assunto, você pode tratar genericamente do tema “guerra”, mencionando aspectos dele e inserir a segunda guerra mundial nesse contexto.

E, para que você veja como é possível construir um texto utilizando essa técnica que amplia o tema, a partir de agora, em todos exemplos, vamos refletir sobre "guerra" (considerando que o tema proposto é "segunda guerra mundial", mas não temos domínio sobre ele).

 

# Passo 5 - Organize as ideias e note tudo o que lembrar sobre o tema

Depois de compreender o assunto, ou definir sobre o que vai escrever caso não saiba exatamente o que o examinador quer, agora você precisa organizar as ideias para conseguir desenvolver seu texto com clareza e coesão.

Use o espaço do rascunho para isso, anotando, em tópicos, todos os temas relacionados ao assunto que você vai escrever. Tente se lembrar de todos os aspectos referentes a esse tema: origens, conceitos, classificações, abordagens, previsão legal, posicionamento da jurisprudência, exemplos.

Faça um verdadeiro “check list” de tudo que lembrar e, ao final, releia para ver se não esqueceu algo.

Ex: sobre o tema guerra, o que podemos falar…

- um conceito;

- aspectos negativos;

- aspectos positivos (alguém sempre lucra com as guerras);

- consequências das guerras e exemplos (inserir a segunda guerra aqui);

- conclusão.

 

# Passo 6 - Enumero as ideias por importância

Depois, em ordem de preferência, vá numerando os itens que você lembrou, do mais importante para o menos importante.

Comece sempre pelos mais importantes, já que, caso o espaço seja insuficiente, não correrá o risco de ter deixado o mais importante para o final.

E não caia na tentação de fazer um rascunho!

Isso leva muito tempo e, com a estruturação dos tópicos, você verá que não será necessário. Uma vez organizado o pensamento, uma escrita com calma, dentro do tempo que você já reservou e do espaço que você já separou, vai garantir um texto excelente.

Ex: sobre o tema guerra

- um conceito sobre guerra;

- aspectos negativos (1º destruição; 2º desestabilização política; 3º desestabilização social);

- aspectos positivos (1º enriquecimento pelo fornecimento de armamentos; 2º enriquecimento pelo fornecimento de remédios);

- consequências das guerras e exemplos (1º segunda guerra mundial; 2º guerras no oriente médio);

- conclusão.

 

# Passo 7 - Introdução ao tema

Todo, absolutamente todo texto, deve conter 3 partes: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Na introdução, você deve tratar o assunto de forma geral, ou seja, mencionar um conceito amplo, dissertar sobre a importância do assunto, trazer os antecedentes históricos do tema, e por aí vai.

Além disso, você já pode direcionar o texto, ou seja, mencionar a respeito do que vai falar no desenvolvimento do tema.

Ex: considerando o tema "segunda guerra mundial", mas abordando o tema "guerra", de forma mais ampla:

“Inicialmente, cabe mencionar que as guerras se caracterizam por lutas, armadas ou não, travadas entre países ou povos, com o objetivo de conquistar espaço, poder ou dominação. Embora sejam evidentes os aspectos negativos de todo confronto, há quem lucre com as guerras.”

 

# Passo 8 - Desenvolvimento do Tema

Feito isto, direcione o seu texto para a abordagem específica que quiser dar, ou seja, utilize os demais parágrafos para tratar sobre aspectos relacionados ao tema, pontos positivos e negativos, exemplos de aplicação em diversas áreas, correntes existentes sobre o assunto.

Trata-se do desenvolvimento do tema.

Neste ponto, é importante ir seguindo as prioridades elencadas no início, pois se faltarem linhas, você pelo menos tratou do indispensável sobre aquele assunto.

Ex: desenvolvendo o tema "guerra" e inserindo o tema "segunda guerra", para atingir, ao menos parcialmente, a expectativa do examinador.

“Quanto aos aspectos negativos, merece destaque a incomensurável destruição causada pelas guerras. Vidas e lares são exterminados pela falta de diplomacia que acaba por desencadear os confrontos.

E, já em outro patamar, pode-se mencionar a instabilidade política e social permanentes.

Já no que se refere aos aspectos positivos, infelizmente há interessados no  desenvolvimento de guerras pelo mundo, principalmente conflitos armados. Isso porque a venda de armamentos gera receita considerável aos produtores destes insumos devastadores.

Em outra ponta, nota-se ainda expressivo o lucro advindo do fornecimento de remédios aos envolvidos nos confrontos. 

Não bastassem os aspectos mencionados, há que se salientar que a guerra traz ainda perversas consequências, as quais geram impactos em todo o mundo.

A reconstrução das áreas afetadas após a segunda guerra mundial, por exemplo, bem como o apoio à toda a população atingida, exigiu esforços de todos os vizinhos e compreensão global acerca do renascimento de uma região.”

 

# Passo 9 - Conclusão do Tema

E, ao final, encerre com a conclusão.

A maioria dos candidatos se perde no decorrer da discursiva e acaba entregando a prova sem conclusão (seja por que não sobraram linhas ou porque o candidato não se lembrou disso).

Assim, ao estruturar seu texto, sempre tenha em mente que, após a introdução geral do tema e a discussão dos aspectos relacionados, o examinador quer ver se você refletiu sobre o tema e tirou uma conclusão sobre ele.

Nessas linhas finais, expresse sua reflexão, sem ser parcial demais.

Utilize expressões como “ao que tudo indica”, “por todo o exposto, parece haver”, e evite expressões como “acho que é ruim/bom”, “não concordo ou concordo com tal linha de pensamento”.

Ex: apresentando uma conclusão possível, mesmo que não tenha o domínio do assunto.

“Enfim, diante do exposto, conclui-se que há muito mais complexidade envolvendo os conflitos, sejam eles armados ou não, do que aparentemente possa parecer.

E, a par de todos os aspectos positivos e negativos que permeiam as guerras, seus efeitos são sentidos por todo o mundo e reclamam a nossa atenção, revelando um todo do qual inevitavelmente nós também fazemos parte.”

 

# Passo 10 - Revise o seu Texto

Pode parecer bobo, mas muitos candidatos simplesmente não releem o que escreveram. Não é porque você terminou de escrever que seu trabalho terminou também.

É  imprescindível reler o que você escreveu. Isso pode lhe ajudar a ajustar a pontuação (colocar uma vírgula ou acento que faltou, por exemplo), verificar algum erro de ortografia que pode ser corrigido (às vezes é melhor cometer uma rasura e inserir a palavra correta do que a deixar errada) e complementar o seu texto (se ainda houver linhas).

É aquele “polimento” que pode dar um brilho a mais em sua discursiva e a diferenciar das demais. Não ignore essa dica!

 

Gostou deste tópico? Quer baixar ele com o formato de E-Book? Então clica no botão abaixo que ele será seu 100% Grátis!

Tenha acesso a um eBook completo sobre como ter sucesso em provas discursivas

 

 

BÔNUS: Como estudar a Lei seca com eficiência

Como estudar a Lei seca com eficiência

Olá, concurseiro!

Espero que você tenha curtido toda a nossa jornada e que este material tenha contribuído de forma concreta para fazer você estudar melhor e ser aprovado mais rápido.

Como bônus, trago o nosso artigo mais visualizado do ano de 2018. 

Milhares de concurseiros já leram este material e estão aplicando agora as orientações do professor Hebert Reis, que é Procurador da República e consultor da VP Concursos.

Neste artigo você vai encontrar um guia completo de como estudar a lei seca com eficiência.

São orientações práticas e extremamente didáticas para você ler, aplicar e aumentar exponencialmente a sua capacidade neste tema, que é um dos mais procurados pelos concurseiros. 

Para acessar o artigo completo basta clicar neste link: https://vpconcursos.com.br/blog/como-estudar-lei-seca-com-eficiencia

 

 

 

IMPORTANTE! NÃO DEIXE DE LER :)

IMPORTANTE! NÃO DEIXE DE LER :)

Este artigo será atualizado regularmente, inclusive com a inclusão de novos tópicos e módulos.

Minha intenção com este material é fornecer um guia completo, atualizado e sem custo, de como estudar para concurso. Com técnicas e dicas práticas para você ler, aplicar imediatamente e com isso ter um ganho real em sua preparação.

Por isso, recomendo fortemente que você salve essa página nos seus favoritos ou em algum lugar de fácil visualização e sempre dê uma conferida, pois sempre terá novas informações de qualidade.

Se você preferir, basta se inscrever grátis em nossa lista VIP que sempre que houver alguma atualização neste material eu irei notificar você por e-mail.

Ah, e além de receber as últimas notícias, se cadastrando em nossa lista VIP você terá acesso ao nosso painel de conteúdo, onde você poderá fazer o download grátis dos seguintes materiais:

#  eBook: Os segredos que os concurseiros aprovados não contam

# eBook: 10 passos simples para você perder o medo e ter sucesso em provas discursivas

# Lista de livros indicados pelos consultores da VP concursos

# Curso completo de português

# Provas e simulados VP Concursos

# Avaliação de Perfil de Aprendizagem

Curtiu? Então clica no botão e se cadastra agora! 

Tenha acesso a Lista VIP VP Concursos

E para não deixar você no escuro em relação as próximas atualizações deste material... 

 

Confira agora a lista de atualizações previstas para este artigo:

# Inclusão do tópico sobre como realizar revisões periódicas.

# Inclusão de módulo completo com tópicos sobre motivação, controle da ansiedade e foco.

# Inclusão de módulo completo com tópicos contendo técnicas avançadas de preparação para concurso público.

# Inclusão de tópico com informações sobre o que fazer no mês, na semana e no dia da prova.

# Atualização de informações dos módulos e tópicos já criados com mais dicas e orientações.

 

E tem mais um detalhe superimportante! 

Você poderá contribuir para a atualização contínua deste material.

Basta enviar um e-mail para atendimento@vpconcursos.com.br e informar qual tópico você gostaria de ver aqui neste artigo. 

E, sinta-se à vontade também para enviar qualquer sugestão, crítica ou apontamento sobre este artigo.

Afinal, ele foi construído com carinho para você!

 

Grande abraço!

Felipe Lima

www.vpconcursos.com.br

 

Junte-se a mais de
10.000
concurseiros

Entre para nossa lista VIP e receba conteúdo exclusivo e 100% gratuito sobre concursos